Business2Gether

Hedge cambial: Veja como proteger sua empresa das variações do câmbio!

imagem da tela de um celeular e de um computador com dados do mercado financeiro, para ilustrar o que é hedge cambial e como essa estratégia é importante para proteger as empresas das variações do dólar.

Hedge cambial é um mecanismo muito utilizado no mercado para proteger o valor de um ativo das oscilações do câmbio. Existem diversos tipos de hedge cambial, como a trava de câmbio, o mercado de opções e o NDF. Todos eles têm o mesmo objetivo: fixar as cotações futuras, diminuir os riscos gerados pelas variações constantes do dólar e melhorar a economia e a rentabilidade das operações

Previsibilidade é a palavra que descreve perfeitamente a estratégia de hedge cambial, cujo principal objetivo consiste em proteger as empresas das variações do câmbio e garantir cotações mais favoráveis às operações de moeda estrangeira.

Para você ter uma ideia, só em 2022, o dólar sofreu diversas alterações bruscas na cotação. Em janeiro, por exemplo, a moeda chegou a ser cotada a R$ 5,67. Depois, em abril, a cotação comercial atingiu R$ 4,61. No mês de outubro, a média do valor ficou na faixa de R$ 5,30. Ou seja, o valor da moeda americana oscilou bastante e, com certeza, deixou os operadores de câmbio, como eu, de cabelo em pé.

Mas se você está em busca de instrumentos para blindar sua empresa dessas constantes oscilações do dólar e melhorar a rentabilidade, eficiência e economia das suas operações de câmbio, continue a leitura. 

Neste artigo, vou abordar as principais informações sobre o hedge cambial e como utilizar essa ferramenta a seu favor.

Sumário

O que é hedge cambial?

O hedge cambial é um mecanismo muito utilizado para proteger o valor de um ativo das oscilações do mercado financeiro. No caso das operações de câmbio, o ativo é a taxa da moeda estrangeira (o dólar, por exemplo) e o hedge cambial é a estratégia que blinda o ativo da desvalorização da moeda.

No mercado, existem vários formatos de hedge, sendo que o cambial trabalha como um tipo de seguro para limitar os riscos de desvalorização do ativo — aqui, no caso, o preço da moeda estrangeira. Ele permite fixar as cotações futuras de um jeito seguro e eficiente, ajudando a reduzir as chances de perdas decorrentes da volatilidade do mercado de câmbio.

Por isso, o hedge cambial é uma estratégia relevante para as empresas que realizam remessas internacionais e que operam no comércio exterior com importações e exportações.

Quais são os tipos de hedge cambial e como eles funcionam?

Há diversos tipos de hedge cambial no mercado, como a trava de câmbio (também conhecida como trava de importação), o mercado de opções de câmbio, o NDF (Non Deliverable Forward), entre outros.

A seguir, vou explicar sobre esses três principais tipos de operações de hedge cambial.

Trava de câmbio

Esse tipo de hedge cambial é muito parecido com uma operação de câmbio comum. A principal diferença é que o processo de negociação visa fixar a cotação da moeda para uma operação que ocorrerá no futuro, em uma data superior a dois dias úteis.

Por meio desse instrumento, a empresa consegue travar, no ato da contratação do câmbio e mediante a documentação necessária, a cotação que será utilizada na operação vindoura e, dessa forma, se proteger das oscilações e garantir mais previsibilidade.

Trata-se de uma opção muito utilizada por empresas importadoras e exportadoras. Você encontra esse tipo de hedge cambial em bancos de câmbio e em empresas especializadas em operações de câmbio, como a B2Gether.

Mercado de opções

O mercado de opções também é um tipo de hedge cambial com bastante demanda no mercado. Esse recurso possibilita que a empresa venda ou compre um ativo em uma data no futuro, tendo o valor da operação pré-determinado.

A compra de um contrato de opções, assim como a trava de câmbio, objetiva fixar o valor para se proteger das variações cambiais. Vamos supor que uma empresa faça uma importação e negocie uma taxa específica para o dólar, enfatizando que seria inviável ter um custo maior do que o valor estipulado.

O contrato de opção é uma ferramenta que vai garantir o direito de a empresa efetivar a operação sob o custo do dólar previamente acordado. Caso a taxa do dólar esteja acima ao valor combinado na data de liquidação, a instituição financeira paga a diferença à empresa. 

Agora, caso a moeda americana esteja abaixo do valor contratado, a empresa pode simplesmente abrir mão do seu direito e comprar os dólares na cotação de mercado do dia em questão.

NDF (Termo de Moeda)

NDF é a sigla para Non Deliverable Forward que significa Contrato a Termo de Moeda. Nada mais é do que um produto de hedge cambial que envolve um contrato de compra e venda de moeda a termo, tendo inclusive a mesma abordagem da trava de câmbio. A diferença é que se trata de um derivativo.

Ou seja, ele consiste em um contrato em que são estabelecidos, antecipadamente, a taxa de câmbio, o volume da operação e a data futura da liquidação.

O contrato é liquidado considerando a diferença entre a cotação do mercado e a cotação contratada no ato do acordo, protegendo ambas as partes (instituição financeira e empresa). 

Isto é, se o dólar estiver acima da taxa combinada, o banco compensa a diferença. Já no caso de a taxa ser inferior à taxa acordada, a empresa fica responsável por pagar a diferença.

No entanto, não é necessário enviar documentos de câmbio no NDF, visto que envolve uma operação com recurso derivativo com base em uma taxa de câmbio. Geralmente, o termo de moeda pode ser contratado para prazos futuros mais longos (acima de um ano).

Qual é o limite para fazer um hedge cambial?

Na verdade, até onde sei, não há um valor mínimo para fazer hedge cambial, cabendo aos clientes estabelecer os valores (ativos) que pretendem proteger e encontrar no mercado instituições que garantam a operação e o travamento da cotação mediante alguma contrapartida.

O que posso dizer é que, na maior parte dos casos, esse tipo de transação é realizada em dólar. Mas é possível conseguir fazer hedge cambial com outras moedas também, como o euro.

Quanto custa fazer um hedge cambial?

É muito difícil precificar o hedge cambial, pois o custo depende de uma série de fatores, como a taxa do câmbio comercial no ato da contratação do câmbio, o volume transacionado, o prazo da liquidação, entre outras variáveis.

Além disso, os valores variam também conforme o tipo de operação de hedge cambial. Por isso, pelo fato de se tratar de uma operação mais complexa, é muito importante contar com o apoio de uma empresa especializada em intermediação de operações de câmbio.

Na B2Gether, por exemplo, ajudamos nossos clientes a analisar a trava de câmbio mais vantajosa para cada operação e tipo de negócio envolvido. Também fornecemos o suporte para estruturar o fechamento junto ao banco, encaminhar a documentação e buscar as melhores condições e taxas do mercado.

Como fazer um hedge cambial?

A operação de hedge cambial pode ser realizada por meio de diversos instrumentos, como trava de câmbio, mercado de opções e NDF, por exemplo. É necessário que a empresa analise cada instrumento, escolha a melhor opção conforme suas necessidades e busque no mercado agentes financeiros autorizados que estejam dispostos a fazer a transação.

Você também pode contar com o suporte da B2Gether para fazer um hedge cambial e proteger seu negócio das variações do mercado de câmbio. 

Somos uma empresa especializada em operações de câmbio e atuamos em conformidade com as normas do Banco Central. Só no primeiro semestre de 2022, intermediamos quase R$ 1 bilhão em transações cambiais para clientes de diferentes segmentos, dos que atuam com facilitação de pagamentos internacionais aos que trabalham com comércio exterior (importação e exportação).

Ah, e detalhe, não cobramos nada pelo nosso serviço de consultoria cambial, que inclui a intermediação do câmbio, soluções cambiais para mass payments, comércio exterior e prestadores de eFX.

Vem conhecer nosso trabalho e agende uma reunião virtual com nossos analistas. É só preencher o formulário abaixo e aguardar nosso retorno (que é bem rápido!).

Compartilhe este Conteúdo

Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Janaina Assis

Janaina Assis

Janaina Assis é sócia-fundadora e CEO da B2Gether, empresa especializada em operações de câmbio e pagamentos em massa. Com mais de 15 de anos no mercado de câmbio, ela desenvolveu uma sólida carreira na área, passando pelas maiores instituições de câmbio do Brasil e atuando com soluções cambiais para empresas e pessoas.

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Abrir Whatsapp
1
Fale com um Especialista
Scan the code
Especialista B2Gether
Olá
Como podemos te ajudar?